"Sem mais, a vida vai passando no vazio
Estou com tudo a flutuar no rio
esperando a resposta ao que chamo de amor".

quarta-feira, 28 de abril de 2010

escadas

os degraus se antepõem
aos poucos se sobrepõem
e menos esperados
separam-se.
.
a chuva já não atrapalha
ela se espalha
e anuncia a chegada
alvorada.
.
é um estado de graça
em pouco tempo passa
e o que não é
acontece.
.
nada desesperadamente,
tudo flui calmamente,
latas e sorrisos
envolve-nos no paraíso.
.
seu olhar
cravado no fundo
escapa de medo
no meu pensamento.
.
vi sua foto
no porta retrato
pensei em você
seu nome é fato.
.



2 comentários:

Í.ta** disse...

de degrau em degrau.

ficou mó bonito.

bj

marcelo disse...

o degrau dá isto de deixar as coisas fluirem calmamente...descer é risco, subir é cansativo...veloz no inicio e calmo no decorrer...o poema tá perfeito...bem estruturado e cheiiiinho de referencias plausiveis imprevisiveis: latas, porta retrato, nome e foto é fato!

bjs