"Sem mais, a vida vai passando no vazio
Estou com tudo a flutuar no rio
esperando a resposta ao que chamo de amor".

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Necrosada

Lembrou-se da música Vento no Litoral e pensou. Ela pensava muito. Achava que ia explodir de tanto pensar. Até riu no meio da rua e algumas pessoas foram saber dela o que se passava. Ela disse que nada. Nada....A palavra estava tão intrínseca que fluia como respiração.
A medida que os dias chuvosos corriam ela se desdobrava em leituras. Leu de Nietzche a Drummond mas nada a satisfazia.
Sentou na cama de seu quarto e abriu o álbum de fotografias para escolher a que melhor se encaixava com o porta retrato antigo. Queria fotos novas, pois aquelas estavam cansando os olhares.
A surpresa foi rever, assim que abriu, uma foto linda dos dois. Pareciam mesmo que foram feitos um para o outro. Fotografias não sabem... O nó na garganta continuou e imediatamente ela fechou o álbum. Não queria passar por tudo de novo.
À noite saiu com os amigos para beber muita caipiroska e dançar. O tempo não passava e a ansiedade aumentava. Até que encontrou um admirador antigo: dançaram, conversaram, beijaram e ela sorriu novamente sem saber o real motivo. Talvez fosse a bebida...

5 comentários:

Pitango disse...

A bebida às vezes só faz enxergar o que se estava ocultando... =)

Gus
http://www.tchubaduba.blogspot.com/

Nadezhda disse...

"Fotografias não sabem"

E alguams vezes, nem nós.

;)

Cesar disse...

Bom conto. E o final bem construido.

Paulo Viggu disse...

Ando com a alma guardada na montanha. Ando pela cidade, vez em quando, veloz. A saudade é a mesma. Beijo - Paulo Viggu

.raphael. disse...

Santa bebida! hehehe
Mas além disso, o melhor é sair para beber com os amigos! hehe

beijoss