"Sem mais, a vida vai passando no vazio
Estou com tudo a flutuar no rio
esperando a resposta ao que chamo de amor".

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Pergunta-se, responde-se:

"Que faremos quando o efeito do pouco que ainda nos agarra se extinguir? Indefesos e estúpidos como somos, não nos restará outra saída, nenhum jeito ou modo de impedir a consciência, o varrer pelos pés de cada uma dessas ruas que já não vão deixar-nos fingir que podemos simplesmente seguir em frente." Diogo Vaz Pinto
(http://omelhoramigo.blogspot.com/)
.
- É uma bela pergunta. - disse eu.
- Por acaso vivemos tão mal assim? - perguntou.
- Não, mas não sabemos analisar o bem e o mal; por isso há sempre o olhar fosco.
- Ainda assim vale a pena e, se algum dia você quiser se lembrar de mim, verá nas estrelas que ainda brilho e sôo com o vento tocando piano e se inspirando em Nana Caymmi.
- ...
.

8 comentários:

Anônimo disse...

Nana Caymmi acompanhada por César Camargo Mariano.,.,

muito bom o estilo do diálogo.,., preciso aprender a construir diálogos assim,., beijo.,.,

Nadezhda disse...

Andei pensando. Não vivemos tão mal assim. Mas algumas coisas parecem ser tão ruins, que muitas vezes nos tiram o gosto da vida.

Mas há sempre um recomeço né.

;)

EDUARDO disse...

Gosto de blogs interessantes como o teu, com substância e conteúdo... Hei-de me fazer voltar :-)


- pai? O que é uma cicatriz?
- é uma actriz da sic, filho!


Paradoxos

Estêvão Cruz disse...

Gisele... como sempre, textos feitos para pensar! Gosto muito!!! kkk

Obrigado pelas palavras que sempre deixa lá no meu blog. Estive em "recesso", mas, estou de volta! kkk

Bju grande! té mais!

http://devaneiosdopoeta.blogspot.com

LindaRê disse...

Tá, me perdi. Estou burra hoje, mas mesmo assim vou comentar.
Apesar das pedras dos caminhos ainda podemos seguir em frente, como o rio que q desvia dos obstaculos, sabe?
E não, o mundo não está tão ruim... é que as vezes precisamos desse olhar fosco.

Beijos

Ps: sou uma só, oras! rs

Si disse...

Por mais difícil que as coisas pareçam, acredito no recomeçar.

Beijos, querida.

Marcelo disse...

Gi,
Tenho andado sem tempo coisas de quem trabalha no varejo - shopping center - e tudo que antecede ao dia das mães...volto para devorar tudo...Itanhadú é que nem Lençóis? - fica na area diamantina? - vou prá ai!

Tambem, grosso modo, ás vezes, fecho os olhos para o mundo dificil...como Diogo pergunta sobre o pouco que nos agarra...acredito que o mundo caminha para uma consciencia geral...se aqui do lado de baixo do Equador um mosquito mata por uma picada é o fim da picada não ver nada ou fingir que está tudo bem...mas, pego carona pela via lactéa, estrada tão bonita e por aê vou onde o onibus parar eu desço, anoiteço e não sei se amanheço!- um beijo é capaz de fazer o mais bruto dos homens se tornar maleável!
bjs

Flávia disse...

Há sempre o olhar fosco... mas o olhar fosco é infinitamente melhor que olhar algum... porque tudo, um dia, se desanuvia, e se torna claro, límpido... e surge diante da gente como verdadeiramente é...

AMEI esse post.

Beijão!