"Sem mais, a vida vai passando no vazio
Estou com tudo a flutuar no rio
esperando a resposta ao que chamo de amor".

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Pra começar, algo meu:


Pelo rio
.
A gente não termina o que passou
Uma trova de amor
Aquele poema ficou na gaveta e empoeirou
Porque tudo era dor
.
A correnteza já foi e com ela as pedras
Perdas e memórias
Contadas pelas histórias
De um distante nós que insiste aflorar
Sem adubo, sem cal, sem teto, sem solar
.
Contarei pelas gotas do rio
Minha vida em desafio
A visita de um amor
Que mesmo vivo está frio
.
...e insiste em não dormir, ele apenas quer fugir.
(03 Junho 2007)

4 comentários:

moacircaetano disse...

Bela reestréia!
Beijos!

Wagner disse...

que bom que estás de volta.,.,., beijo

Múcio L Góes disse...

mto bom, o poema, e mta luz na casa nova!!

bjo.

:)

Estêvão Cruz disse...

Oi, gostei muito de seu texto! Não deixa a inspiração fugir! Agarra pelos cabelos, braços e pernas e segura contigo! kkk
Abraço!

http://devaneiosdopoeta.blogspot.com